os erros e os acertos de cada filme

Créditos da imagem:
20th Century Fox/Divulgação

Segunda tentativa de levar arco clássico dos quadrinhos corrige alguns erros do filme anterior, mas não todos

Mariana Canhisares

12.06.2019

17h58

Nem X-Men: O Confronto Final, nem X-Men: Fênix Negra agradaram muito o público. Adaptando as HQs clássicas de Chris Claremont e John Byrne, ambos claramente tiveram problemas. Porém, em alguma medida, também tiveram seus méritos. Para definir qual dos dois foi, talvez, o menos pior, analisamos cinco pontos dos filmes. Confira:

Protagonismo de Jean Grey

X-Men:Fênix Negra/20th Century Fox/Reprodução

VITÓRIA DE FÊNIX NEGRA. O diretor Simon Kinberg admitiu em diferentes ocasiões que um dos principais erros que cometeu em O Confronto Final, como roteirista, foi explorar o arco da Fênix Negra como uma trama secundária. De fato, a transformação de Jean Grey é só um artifício para a guerra do Magneto contra a humanidade, que naquele momento estava determinada a encontrar uma “cura” para os mutantes. A própria personagem tem uma postura passiva dentro da história, reagindo aos personagens ao redor, mas sempre ficando na sombra deles.

Em Fênix Negra, como o próprio título sugere, Jean Grey é dona do seu destino. Kinberg, agora ocupando a cadeira de diretor, manteve as intensas tentativas de manipulação dos demais personagens, mas em última instância é ela quem toma as decisões, sejam boas ou ruins. Nesse sentido, o filme mais recente faz mais jus à mutante.

X-Men: O Confronto Final/20th Century Fox/Reprodução

EMPATE. A atitude de Logan, seu humor e seu amor por Jean são tão centrais à trama de Confronto Final que é difícil imaginar o filme sem ele, principalmente nos anos 2000 quando o personagem era o grande nome do cinema de herói. Por isso, é inegável que a do Wolverine é sentida em Fênix Negra.

Porém, a decisão de Kinberg de não incluir o personagem no longa é sensata. Como ele bem explicou à Rolling Stone, seria estranho ver Hugh Jackman e Sophie Turner envolvidos em um romance. Primeiro, pela diferença de idade entre os atores. Depois, porque a inclusão do herói poderia distrair o público do real objetivo do longa, isto é, contar de modo apropriado a história de Jean.

Logo, é difícil apontar um vencedor. Em ambos, Kinberg tomou boas decisões quanto ao Wolverine.

Lado vilanesco do Professor X

X-Men:Fênix Negra/20th Century Fox/Reprodução

VITÓRIA DE FÊNIX NEGRA. Ambos os filmes trabalharam em alguma medida o lado egocêntrico do Professor Xavier. Porém, em Fênix Negra, o líder dos mutantes ganha ares vilanescos, uma mudança interessante que tira o personagem e o próprio público da sua zona de conforto.

Como o próprio Kinberg definiu ao Hollywood Reporter, essa transição faz sentido. Afinal, ao mesmo tempo que há algo de benevolente na postura de Xavier com os X-Men, mas também há elementos patriarcais e dominantes. “Ele mora na mansão e sente que tem o direito ou a sabedoria de definir os destinos e as identidades dessas crianças”.

Este é o maior mérito de Fênix Negra. Ao colocar o personagem para encarar os próprios erros, ele o tira do pedestal de bom moço e o aproxima da figura do Magneto. Isso é definitivamente melhor do que apenas transformá-lo em mártir.

X-Men: O Confronto Final/20th Century Fox/Reprodução

VITÓRIA DE CONFRONTO FINAL. O que deixa Confronto Final à frente de Fênix Negra são as cenas de ação. No filme de 2006, há uma sensação de risco a cada batalha, enquanto o último longa da franquia não consegue ser impactante em nenhuma dessas sequências. Falta emoção e até um pouco de carisma nas lutas entre mutantes. 

X-Men:Fênix Negra/20th Century Fox/Reprodução

VITÓRIA DE FÊNIX NEGRA. É verdade que Fênix Negra esquece do Mercúrio antes mesmo de chegar na metade, mas ainda assim a produção consegue desenvolver um pouco melhor seus personagens secundários. O exemplo claro é o Ciclope de Tye Sheridan, definitivamente mais interessante que o de James Marsden. Porém, de um modo geral, todo mundo mostra uma faceta menos boazinha.

O Confronto Final, por sua vez, tem muitos personagens, mas não os desenvolve bem. Isso é perceptível no triângulo amoroso entre Vampira, Homem de Gelo e Lince Negra, que realmente não acrescenta em nada, e mesmo no inexplicável Fanático. No fundo, a melhor personagem deste núcleo é a Tempestade de Halle Berry. Sem igual.

Written by: Xina

No comments yet.

Leave Your Reply

Solve : *
18 + 20 =


GAMESZone

Aenean sodales eros ac scelerisque sagittis. Aliquam porta consectetur blandit. Nulla sed augue nisl. Vivamus pulvinar ullamc orper malesuada.

Suspendisse ornare velit eget dolor fringilla, et imperdiet ipsum convallis. Integer faucibus, felis nec lobortis hendrerit, augue mi mattis massa, vitae lobortis neque nunc ut eros. Donec massa lectus

Tweets

Join us in 2 hours and learn how to create this webinar page with no design or coding experience (with #Brizy &… https://t.co/2gjhootZ0e
Webinar: How to create a webinar page with no design or coding experience (with #Brizy & @meetdemio) Save your spo… https://t.co/2TbLgg8DbO
Webinar: Brizy Essentials Workshop 5 SEPTEMBER, 2019 | 7:00 PM EEST | 60 MINUTES Reserve a spot here:… https://t.co/CTelNKRou2

Flickr Widget